T.R.A.F.F.I.C. – O debate sobre as novas extensões Parte II

Na maior convenção de Domaining, T.R.A.F.F.I.C., desta vez na Flórida, foi feito um debate com pessoas bastante influentes no sector que vale MESMO a pena ver. Se não sabe o que é esta convenção, meu caro leitor só lhe posso dizer por experiência própria que é onde você como Domainer quer estar.

O debate tem duas partes e eis a última. Esta discussão reúne pessoas que estão diretamente ligadas a empresas que vão lançar novas extensões, bem como, pessoas que (ainda) não acreditam no sucesso das extensões. A equipa que das novas extensões foi apelidada de “Team Schilling” e é composta por Frank Schilling, Monte Cahn, Jeff Saas, and Tim Johnson. A equipa “oponente” dá pelo nome de “Team Schwartz” e tem no seu elenco Rick Schwartz e Lonnie Borck.

Happy video!

Joao Mesquita

Os nossos leitores também viram:

T.R.A.F.F.I.C. – O debate sobre as novas extensões Parte I

Já muito foi dito por toda a internet sobre as novas extensões. Se são bons investimentos, se vão falir, se vão isto, se vão aquilo.

Na maior convenção de Domaining, T.R.A.F.F.I.C., desta vez na Flórida, foi feito um debate com pessoas bastante influentes no sector que vale MESMO a pena ver. Se não sabe o que é esta convenção, meu caro leitor só lhe posso dizer por experiência própria que é onde você como Domainer quer estar.

O debate tem duas partes, mas só uma foi publicada por isso aguarde pela próxima. Esta discussão reúne pessoas que estão diretamente ligadas a empresas que vão lançar novas extensões, bem como, pessoas que (ainda) não acreditam no sucesso das extensões. A equipa que das novas extensões foi apelidada de “Team Schilling” e é composta por Frank Schilling, Monte Cahn, Jeff Saas, and Tim Johnson. A equipa “oponente” dá pelo nome de “Team Schwartz” e tem no seu elenco Rick Schwartz e Lonnie Borck.

São 40 minutos de conversa produtiva e inclui um inquérito feito na rua a comerciantes locais, conduzido por Howard Neu. Veja o que o comum mortal sabe sobre as novas extensões. Eu já fiz este teste por cá e tive os mesmos resultados. Não é nada difícil fazer isto. Vá a qualquer loja e pergunte.

Aaaaahhhhhh já tenho saudades do T.R.A.F.F.I.C.

Happy video!

Joao Mesquita

Os nossos leitores também viram:

DNS.pt quer 1 milhão de registos até 2014

A entidade gestora para a extensão .pt (e outras sob .pt), a DNS.pt, divulgou o seu Plano de Atividades e Orçamento para 2013 – 2016. Para quem foi ao eShow em Lisboa há uns dias atrás, foi-lhe facultado este plano, mas para quem não foi pode sempre consultar este documento clicando neste Link.

O documento contém um objectivo muito interessante que se baseia no facto de a DNS.pt querer atingir a marca de 1 Milhão de registos de domínios .pt já em 2014.  Pelo menos é assim que interpreto as seguintes linhas que passo a citar: “…o maior desafio interno passará pela ampla divulgação do serviço de registo de domínios de .pt, contribuindo para o seu crescimento sustentado. A meta de chegar em 2014 a 1 milhão de domínios registados será pois o grande e ambicioso objetivo a concretizar…”. Honestamente fico com a impressão que só se refere à .pt e não à org.pt e outras.

Neste plano também está contemplado o aumento de Registrars com o agilizar de processos na criação dos mesmos. É provável que ao mesmo tempo sejam feitas regras mais orientadas para a qualidade em defesa do consumidor.

Também existe a promessa de apoio da DNS.pt a iniciativas de promoção da extensão e da utilização da internet em Portugal. Se não estou em erro, este apoio será feito em forma de patrocínio e será curioso ver o tipo de projetos apoiados, sendo que um deles será o apoio a “…iniciativas nacionais de promoção da participação da mulher portuguesa em atividades na área das tecnologias de informação…”. Dentro deste quadro vão existir “…concursos, fóruns de ideias, desenvolvimento de plataformas, ou outras atividades…”.

Existe no horizonte um novo site para a DNS.pt, mais user friendly e informal, bem como, uma maior dinamização de relações bilaterais com a comunidade internauta, utilizando para isso o próprio site e as redes sociais.

Neste documento existe também a parte orçamental que aparenta prever a contratação de staff, já que no ponto “Remunerações e outros gastos com pessoal” passa de 314.023€ em 2013, para 674.095€ já em 2014. 2015 terá 680.797€ e em 2016 o orçamento será de 689.517€. Caso seja essa a ideia, prepare o seu CV.

É um documento interessante para aqueles que seguem a extensão .pt, mas talvez o objetivo de ter 1 milhão de registos já em 2014 seja demasiado otimista na atual situação do país. Se for atingido… YAY.pt!

Bom fim de semana.

 

Joao Mesquita

Os nossos leitores também viram:

A leiloeira Heritage lança primeiro leilão de domínios

A casa mundialmente conhecida de leilões, Heritage, vai lançar o seu primeiro leilão dedicado a domínios de internet. Este leilão histórico, de acordo com a newsletter que recebi, está marcado para 21 de Novembro e conta com domínios realmente interessantes, tais como:

OJX.com
Animation.com
AIE.com
DVDs.com
Numismatics.com
NL.com (mais Centraal do que isto não há!)
MutualFunds.com
Suit.com

Entre outros que podem ver através deste link.

É um leilão que me parece determinante para que o Domaining fique cada vez mais mainstream e socialmente aceite, coisa que ainda hoje neste século em que a internet é O media, é visto como algo de criminoso porque não registaram o domínio que queriam primeiro…

Só posso dar os parabéns ao Aron Meystedt, o homem que detém o domínio Symbolics.com, por ter criado esta secção dentro da Heritage.

Espero que outras casas de leilões sigam o exemplo.

Joao Mesquita

Os nossos leitores também viram:

Sucesso.pt – Um programa sem dominio

Eu gosto mesmo muito de programas que tenham como principal objectivo divulgar noticias positivas. É daquelas coisas que me conseguem colar ao sofá, mas nem tudo são rosas.

A SIC Noticias, canal de televisão com uma excelente reputação, tem um programa destes que dá pelo nome de “Sucesso.pt”. O nome é fantástico e faz todo o sentido, já que o conteúdo do programa se foca em casos de sucesso em Portugal, apesar de toda a gripe gerada pelo vírus HNtroika. O programa simboliza tudo o que faz o país crescer. Empreendedorismo ao serviço do país…diria.

O problema deste programa é a horrível estratégia de naming adoptada por alguém que sinceramente não devia estar nos seus melhores dias. O nome do programa é Sucesso.pt e a SIC Noticias não tem o domínio…Sucesso.pt, aliás eu descobri isto porque visitei o dominio na esperança de ver programas antigos e fazer um catch-up à coisa. Foi uma busca sem glória porque o dominio Sucesso.pt é um site de classificados de emprego. GO FIGURE!!!

O programa até se podia chamar Sucesso Portugal ou Sucesso PT, mas o ponto estraga tudo. Bem vistas as coisas, não estraga nada a vida ao titular do dominio que deve estar bastante contente por isto. Até parece que a SIC não tinha uns trocos para comprar um excelente dominio que é publicitado sempre que anunciam o programa, bem como é divulgado pelo apresentador de cada vez que diz “Sucesso.pt”.

Quanto tráfego type-in é DADO pelo programa ao dominio em questão? Comprem lá o dominio e façam um site com sucesso.

Já agora fica aqui um vídeo do programa. Espero que goste:

Joao Mesquita

 

O crédito da imagem vai todo para a SIC Noticias.

Os nossos leitores também viram:

  • Sem artigos relacionados

Western Union e MasterCard, Truncation e Generic Branding

Olá e viva o Sábado!

Quem segue a Liga dos Campeões e a Liga Europa, talvez tenha notado nos seus patrocinadores, a Western Union e a MasterCard. São 90+ minutos de jogo em que a nossa mente consome a publicidade no estádio, por isso é bem provável que se lembre destas duas empresas.

Mas, você não viu nem westernunion.com, nem mastercard.com a passar constantemente pelos seus olhos. Nada disso. O que você e outros tantos milhões de espectadores viram foi um exemplo de truncation e outro de generic branding.

Caso ainda não se lembre, fica aqui a nota:

A Western Union gastou milhões para anunciar o domínio WU.com, um claro exemplo de truncation (westernunion.com passa apenas a ser wu.com) e para os ainda cépticos, fica aqui a questão: porque é que uma empresa como a Western Union iria gastar milhões a anunciar um domínio que não é a sua marca, se não lhes fosse rentável? Para o ajudar na resposta, fica aqui uma dica…o domínio WU.com faz um forward para o westernunion.com.

A MasterCard gastou outros tantos milhões para anunciar o domínio Priceless.com, este sendo um exemplo fantástico de generic branding para um segmento dos seus serviços que ainda estão a ser lançados em vários países. O domínio Priceless.com vende experiências e é um genérico fabuloso. Faço-lhe novamente a pergunta: porque é que uma empresa como a MasterCard iria gastar milhões a anunciar um domínio que não é a sua marca, se não lhes fosse rentável? Priceless=MasterCard???

Ainda está com um domínio que só você e o seu “informático” acham engraçado, mas que não diz nada aos seus clientes? Continua a cair no erro de pensar que um domínio é apenas aquela “coisa” depois do www?

Aproveite as sugestões que lhe tenho deixado neste site. Acredite…este tipo de texto é Priceless.

Bom fim de semana!

Joao Mesquita

Os nossos leitores também viram:

O problema dos domínios .pt

Eu sou, sempre fui e sempre serei um defensor do aluguer de domínios, com uma cláusula de opção de compra futura. É a melhor forma de rentabilização de um domínio para o seu titular, bem como, a melhor forma que uma empresa tem para perceber o benefício da obtenção futura desse mesmo domínio.

Mas, se a transação for feita entre domainers o caso muda de figura. Não há muitos domainers que queiram alugar um domínio, até porque não existem muitas formas de se rentabilizar um domínio sem recorrer ao fraco PPC, ou às manipulações constantes de afiliações…ou seja, na maioria dos casos não existe um benefício no aluguer para um domainer.

Se você for como eu, que se dedica a encontrar o end user para um domínio, ou se for um CEO, então gostaria de partilhar algo consigo.

Com a abertura da extensão .pt, vários domínios premium ficaram livres para registo a preço de registrar. Provavelmente você tem alguns. Seria lógico que os rapazes da informática das grandes empresas fizessem um favor ao seu próprio posto de trabalho e quisessem ter esses premiums, mas isso não aconteceu. Posto isto,  vamos falar sobre aquelas empresas que estão ainda na “incubadora” de milhares de pessoas por este país fora, provavelmente como a sua.

Como já disse noutro artigo, só no mês de Janeiro já recebi mais propostas por domínios meus, do que no ano anterior. Isto já é um sinal claro que as pessoas estão a passar para um estado de “incubadora”, mas há aqui um padrão de comportamento que tem de ser esclarecido.

Não existe nada mais segmentado para o nosso país do que a nossa própria extensão (.pt). Com isto não quero dizer que a .com não seja melhor, porque é e vai continuar a ser, mas a seguir à .com…só a .pt para o nosso país. Prova disso é o facto de as maiores empresas, ou os maiores projectos a nível nacional, estarem todos nesta extensão, seja qual for a área de negócios.

Galp, BES, OLX, Sapo, EDP, REMAX, Audi, Continente, Publico, entre outros, têm diferentes negócios, mas uma extensão idêntica. Antes que faça a pergunta “porque é que não existem genéricos nessa lista?”, lembre-se que só em Maio é que existiu essa abertura. As incubadoras ainda estão a trabalhar e isso leva tempo. E se ler novamente, até estão lá genéricos, mas isso é outro tema de conversa.

MAS, se a extensão não é o problema e um premium é sempre OURO, qual é o problema???

O que eu tenho notado é uma simples projecção de um falhanço futuro que as pessoas incutem aos seus próprios projectos, que as leva naturalmente a não aceitar sequer um valor baixo de aluguer de um domínio. O problema não é o domínio, e na maioria dos casos do preço do domínio, mas sim dos projectos que as pessoas têm.

Se as pessoas não aceitam algo como 300€ ou 500€ de aluguer, isto significa que o seu projecto não vale sequer 20€.

Se não percebem que com aquele domínio (que as fez enviar um email ao seu titular e não ao contrário), vão conseguir abranger todo o mercado nacional; fazer vendas sem os custos de uma loja física que fica restrita à área local; ficar na mente das pessoas sem grande esforço; obter mais clientes a visitar a loja virtual num mês, do que numa loja física em todo o ano; entre outras vantagens, então há algo que está mal e não é o domínio, nem um preço baixo de aluguer! O projecto é que está a falhar, simplesmente porque não faz com que as pessoas  arrisquem. Arriscar é algo inerente a qualquer negócio e se 300€ ou 500€ por mês o faz parar…então para quê começar?

Se pensa que o seu projecto fica melhor servido numa loja física, força nisso. Eu não digo a ninguém para não o fazer. Mas por experiência própria posso dizer que a quantia a ser gasta será muito superior a 300€ ou 500€. Aliás, qual é problema de ter uma renda de 5000€ se o seu projecto rende mais do que isso? Há aqui um padrão que manifestamente não está relacionado com um domínio, mas se teima em não querer perceber este facto…só lhe posso sugerir para arranjar um emprego. É mais “seguro”.

 

Bons negócios!

 

Joao Mesquita

 

Os nossos leitores também viram:

Um artigo a ter em atenção

Camarada, amigo e visitante deste site, hoje trago um artigo de opinião que recebi no meu email, enviado pela Amen e que puxa ao coração lusitano. Se bem que eu prefiro sempre um .com a um .pt, a nossa extensão é sem sombra de dúvidas a melhor opção caso a internacionalização não seja um objectivo de um projecto, ou se o .com não estiver acessível.

Posto isto, deixo aqui o artigo assinado pela Assistant Manager da Amen Portugal, Ângela Cândido.

Enjoy!

Os domínios .pt como passaporte para a Marca Portugal
Continuamos a ser, diariamente, bombardeados com notícias negativas acerca do nosso país, tanto que, muitos de nós, ficamos como que adormecidos ou paralisados perante circunstâncias tão incontornáveis.

No entanto, apesar da tão falada e malfadada conjuntura económica é necessário criar uma linha de pensamento positiva que contrarie o “negativismo” tipicamente português, porque na verdade, a nível empresarial o empreendedorismo português e os seus casos de sucesso são cada vez mais e repetem-se exponencialmente.

A imagem que Portugal reflete no resto do mundo tem repercussões definitivas e categóricas na economia nacional, daí a importância da Marca Portugal.

Institucionalmente têm sido feitos esforços no sentido de difundir de forma cada vez mais massiva a Marca Portugal, contudo, o papel principal nesta divulgação pertence precisamente aos negócios consistentes e aos produtos made in Portugal que dão provas do seu êxito.

A Marca Portugal, per si, nada poderá fazer pela economia portuguesa, pelo contrário são os serviços e os produtos portugueses de qualidade que promovem e continuarão a promover a Marca Portugal.

Daí que, sendo a Web o espaço do conhecimento por excelência, para que a nossa marca possa ser cada vez mais conhecida e visualizada na aldeia global, é imperativa a presença portuguesa na Internet.

Uma das formas mais imediatas de dinamizar a Marca Portugal em ambiente Web é a criação do domínio .pt

O registo e manutenção de um domínio .pt poderá traduzir-se num selo de qualidade, uma identificação explícita, imediata e global da presença da marca de um país que potencia e consolida a sua imagem.

Mais do que isso, a gestão de um domínio .pt identifica e promove a Marca Portugal, dando-lhe um registo efetivo, abrangente e credível.

Ângela Cândido

Assistant Manager – Amen Portugal

Até à próxima!

João Mesquita

Os nossos leitores também viram:

  • Sem artigos relacionados

2 anúncios a manter na retina

Olá,

Hoje trago 2 anúncios que já andam a circular na internet, mas que merecem também ficar aqui registados nesta humilde casa.

O primeiro anúncio foi feito pela GoDaddy.com para o SuperBowl e é exactamente aquilo que ando a dizer aos CEOs deste país. Registem um dominio de internet o quanto antes, senão arriscam a que alguém o registe primeiro..e depois claro está, vem o rapaz da informática dizer que a “alternativa” é boa na mesma!

É pena que o anúncio seja focado na extensão .co, mas esta extensão e  a GoDaddy sempre se deram muito bem por isso não é de estranhar. Ora vejam aquilo que é a vida de um Domainer!

_________________________________

_________________________________

O segundo anúncio é relativo a uma produção nacional, segmentada para o end user que teima em não perceber o quanto a tecnologia pode ser simples. Vale a pena ver até ao fim. A mensagem é muito clara por isso nem me vou alongar em comentários, mas para os CEOs que andam por aí, eu quero dizer isto:

As crianças também se tornam adultos e assim como você fez uma empresa, também um universitário cria uma. Ter o dominio certo para o seu negócio vai depender daquilo que você quer perceber. Já o outro dizia “tenho mais medo de um universitário numa garagem do que uma grande empresa”…ou algo assim.

_________________________________

_________________________________

 

Enjoy!

 

João Mesquita

Os nossos leitores também viram:

  • Sem artigos relacionados