NovoBanco.pt – Confusão sem confundibilidade

Os meses de Julho e Agosto foram extremamente marcantes para o panorama financeiro em Portugal. O declínio do banco BES e o encosto à parede do seu homem forte, Ricardo Salgado, trouxeram a Portugal uma nova realidade na banca portuguesa.

É importante salientar que este país já viu muita coisa, mas algo como isto de forma tão abrupta é novidade. O Grupo Espírito Santo proporcionou a maior falência das últimas décadas e, claro está, de algo velho e combalido sai sempre algo novo. Como uma fénix, eis que o Novo Banco aparece em cena, apanhando muitos com a sensação de estar a ver um filme de ficção científica e outros, que continuam a ter acesso a informações privilegiadas…mais seguros.

Na cena do Domaining, e porque esta é a razão deste blog, ficámos a saber que o domínio NovoBanco.pt foi registado para simplesmente ser retirado de cena um dia após o seu registo, pela DNS.pt. Os factos são públicos para quem os quiser apreciar.

– O Novo Banco ainda não tem, até à data, publicado nenhum pré-registo de marca no INPI.pt;

– Nas publicações do Portal MJ não apresentam nenhum resultado quando se pesquisa pela suposta denominação;

– A única marca ainda vigente com esta denominação pertence, com muita ironia, a um banco concorrente…o BCP;

– Os detentores da única marca ainda vigente têm a mesma desde 1989 mas nunca registaram o domínio…pelo menos que se saiba;

–  A marca registada caduca a 20 de Novembro de 2014, portanto daqui a uns meses;

– Sendo que a marca nunca foi utilizada para as suas funções que integram a classificação de Nice, não se pode propriamente falar em algo notório e susceptível de confundibilidade.

O que fica para a história é a importância que um domínio .pt tem para gerar esta confusão de se proteger algo para quem não se protegeu, contrariando quem se podia ter protegido e que nunca se quis proteger.

Mas no fundo…naquele fundo poço da questão, o que fica para a história é a escabrosa ironia de que uma marca cuja classificação de Nice, doravante real utilidade da mesma, que serve para vender Extintores (classe 09) possa servir agora para apagar um fogo chamado Novo Banco.

Se o nosso querido velho amigo ainda fosse vivo, tenho a certeza que este texto acabaria assim mesmo…”E esta hein?”

Joao Mesquita

Os créditos da imagem vão para o BES.

Os nossos leitores também viram:

  • Sem artigos relacionados